16/10 – Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus.

Sábado, 16 de outubro de 2021.

 

Evangelho (Lc 12, 8-12)

 

“Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus”

 

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 8“Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus. 9Mas aquele que me renegar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus. 10Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. 11Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. 12Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer”.

 

Reflexão

 

Esta é uma passagem que gera muitas dúvidas. Diversas são as pessoas que perguntam: mas o que é o pecado contra o Espírito Santo? Uma vez li a explicação de um padre que me abriu mais a mente para entender melhor este pecado. Ele explica: “Pecar contra o Espírito Santo é estar diante da luz e escolher permanecer obstinadamente com os olhos fechados. Aquela escuridão escolhida deliberadamente por mim não pode ser perdoada, porque a misericórdia de Deus não pode constringir que eu abra forçosamente os meus olhos. Deus não pode salvar-nos forçadamente, pois onde estaria a nossa liberdade? Onde estaria o amor?”. De fato, não se pode perdoar alguém que não aceita ser perdoado. Não se pode amar alguém que não quer ser amado. Excluir-se da beleza, da bondade, do amor é tudo que não pode ser atingido por nada que salve. É esta a mensagem do Evangelho de Hoje: Deus que pode tudo, escolhe limitar a sua onipotência para deixar a nós um espaço de liberdade tão decisivo que é privado por fim de seu próprio perdão. Mais isto não significa que temos o poder de proibi-lo de nos amar. Deus declarou um amor eterno a nós, mas podemos viver e morrer como se tudo isto não existisse realmente. Se você está se afogando e alguém te joga uma boia e você decide ignorá-la, certamente você morrerá, mas desta morte você não poderá culpar ninguém a não ser você mesmo. Aquele salva vidas em uma tempestade ao mar é o amor de Deus, o Espírito Santo. Não agarrá-lo e não deixar-se agarrar é imperdoável.

 

Pe. Paulo Eduardo Jácomo, sdb.