18/10 – A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos.

Segunda-feira, 18 de outubro de 2021.

 

Evangelho (Lc 10,1-9)

 

“A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos”

 

Naquele tempo,1o Senhor escolheu outros setenta e dois discípulos e os enviou dois a dois, na sua frente, a toda cidade e lugar aonde ele próprio devia ir. 2E dizia-lhes: “A messe é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita. 3Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. 4Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias, e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! 5Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’ 6Se ali morar um amigo da paz, a vossa paz repousará sobre ele; se não, ela voltará para vós. 7Permanecei naquela mesma casa, comei e bebei do que tiverem, porque o trabalhador merece o seu salário. Não passeis de casa em casa. 8Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, 9curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’”.

 

Reflexão

 

Hoje celebramos São Lucas, o evangelista chamado de “médico de homens e de almas”. O evangelho de hoje no apresenta Jesus que envia seus discípulos em missão. Ele tem uma missão: “ter no coração o mundo e cada pessoa que lhes for confiada a fim de que recebam o que precisam”. O que o mundo realmente precisa é de Jesus Cristo, não somente a Sua Pessoa, mas o que Ele significa, o mundo precisa de Amor. Quando a pessoa se sente amada ela descobre o sentido da vida. Ela faz experiência de Deus, pois Deus é Amor. As pessoas precisam tanto serem amadas, que realmente não existem “operários” de Jesus suficientes para isso. O trabalho é grande, mas o número de pessoas que querem trabalhar é pouco. Já no tempo de Jesus era assim, imagina hoje. Jesus faz um apelo: “Por isso pedi ao dono da messe que mande trabalhadores para a colheita”. Mas ele não faz somente o apelo, mas também diz as condições para o trabalho: “Eis que vos envio como cordeiros para o meio de lobos. Não leveis bolsa, nem sacola, nem sandálias e não cumprimenteis ninguém pelo caminho! Em qualquer casa em que entrardes, dizei primeiro: ‘A paz esteja nesta casa!’… Quando entrardes numa cidade e fordes bem recebidos, comei do que vos servirem, curai os doentes que nela houver e dizei ao povo: ‘O Reino de Deus está próximo de vós’. Em resumo, Jesus diz para termos confiança não no que possuímos, mas em Quem nos envia. É preciso recordar que existem lobo, portanto, não podemos andar desprovidos. Não podemos nos comportar como um ‘super-herói’, mas devemos estar sempre junto com alguém que somo no trabalho. Que na bagagem do missionário exista sempre a paz, que o mesmo esteja junto principalmente dos que sofrem. Pregar o Evangelho já é a grande vitória do missionário e não o resultado da missão.

 

Pe. Paulo Eduardo Jácomo, sdb.