26/10 – A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo?

Terça-feira, 26 de outubro de 2021.

 

Evangelho (13,18-21)

 

A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo?

 

Naquele tempo, 18Jesus dizia: “A que é semelhante o Reino de Deus, e com que poderei compará-lo? 19Ele é como a semente de mostarda, que um homem pega e atira no seu jardim. A semente cresce, torna-se uma grande árvore e as aves do céu fazem ninhos nos seus ramos”. 20Jesus disse ainda: “Com que poderei ainda comparar o Reino de Deus? 21Ele é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado”.

 

Reflexão

 

Para melhor entendermos o que Jesus está nos ensinando neste Evangelho de hoje, basta que recordemos as inúmeras sementes tão pequeninas que já tivemos a oportunidade de tocar, sabendo que vinham de grandes árvores. A semente de uma paineira, por exemplo. Basta também um só pequeníssimo detalhe, mas verdadeiro, autêntico, fiel, constante para mudar completamente a nossa vida. São as pequenas coisas o verdadeiro segredo do reino de Deus. Levar a sério os detalhes mais insignificantes da vida e vive-los com amor e paixão, humildade, dedicação e cuidado. Isto transforma uma coisa normal e às vezes chata, como o nosso cotidiano, em algo afável e agradável. A verdadeira grandeza sabe fazer-se pequena. A verdadeira fé sabe dar valor aos detalhes. O verdadeiro amor se nutre das delicadezas quase sempre imperceptíveis, mas necessárias. Mesmo a presença do fermento, nós o percebemos pelo efeito e não pela evidência de si próprio. Existem coisas na vida que não são evidentes, mas que a gente percebe que existem. É este o efeito da Graça de Deus quando entra em nós através da Palavra e sobretudo através dos Sacramentos. Nós evidenciamos somente os efeitos de quanto estes sejam verdadeiros e eficazes. A vida espiritual, por exemplo, é como o amor, não se nutre de gestos heroicos, mas de pequenas delicadezas, de fidelidade e gestos que tornam a relação íntima e confiável. Somente alguém que sabe morrer por nós nas pequenas coisas está em condições de morrer por nós de fato. Não nos improvisamos na vida. Um pequeno pedaço de hóstia pode fermentar de sentido toda uma vida porque ali tem um Amor que deu a vida por nós.

 

Pe. Paulo Eduardo Jácomo, sdb.